Mostra Mosfilm chega à 6ª Edição com 29 sessões e dois locais de exibição



De 4 a 11 de dezembro São Paulo receberá 12 longas metragens do cinema soviético e russo. As produções, de períodos e estilos variados, fazem parte da programação da Mostra Mosfilm, que chega à sua 6ª edição com 29 sessões, doze a mais que no ano passado, e dois parceiros à altura da programação: o Circuito SPCine e o Itaú Cinemas.
Produções de várias décadas serão exibidas nos oito dias de mostra, e a diversidade de gêneros também chama a atenção na curadoria. Entre os destaques da programação estão "A Balada do Soldado", clássico de Grigori Chukhray, a ficção científica "Stalker", de Andrei Tarkovsky, e "A Prisioneira do Cáucaso", de Leonid Gayday, uma das mais populares comédias russas de todos os tempos. Os três filmes passaram, recentemente, por cuidadosos processos de restauração no Mosfilm, o que também aconteceu com mais 5 dos 12 filmes da Mostra.
Outra novidade é a exibição de um balé, a versão de "Spartacus" de Yury Grigorovich, de 1975, com o Balé Bolshoi. Karen Shakhnazarov, diretor geral do Mosfilm, também tem filme na programação deste ano, o drama "O Mensageiro", de 1986. O filme mais recente da seleção é a comédia "Aluga-se uma Casa com Todos os Inconvenientes", de Vera Storozheva, de 2016.
A possibilidade de ter dois locais de exibição viabilizou maior número de sessões, e também mais possibilidades de o público conferir os filmes, quase todos inéditos no Brasil. Todos os longas terão ao menos duas exibições, sendo pelo menos uma no Itaú (Rua Augusta, 1.475) e uma no SPCine Olido (Av. São João, 473). Os ingressos têm preços populares e as sessões têm 5 horários diversos.
A Mostra é uma realização do CPC-UMES Filmes, em parceria com a SPCine e Itaú Cinemas.
Apoio: Agência de Assuntos da Comunidade dos Estados Independentes da Federação da Rússia (Rossotrudnichestvo), Embaixada da Federação da Rússia na República Federativa do Brasil, Sputnik Cultural e Associação Cultural Grupo Volga de Folclore Russo.
Informações Gerais:6ª Mostra Mosfilm de Cinema Soviético e Russo
De 04/12* a 11/12/19
Locais de exibição:
Itaú Cinemas Augusta
Rua Augusta, 1.475, sala 3 – Consolação – São Paulo – SP
Ingressos: R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia entrada)

Circuito SPCine – Cine Olido
Av. São João, 473, Centro – São Paulo – SP
Ingressos: R$ 4,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia entrada)
(Consulte a programação para sessões e horários)

*Sessão de abertura, gratuita. É necessário confirmar presença pelo e-mail mostramosfilm@umes.org.br. Retirada de ingressos com 1 hora de antecedência.
Sujeito a lotação da sala.

Exposição “As Matryoskhas”
Dos dias 05/12 a 08/12 estará em cartaz, no hall de entrada do SPCine Olido, a exposição “As Matryoskhas”, de Nadia Starikoff. Filha de mãe russa, a artista tem sua trajetória marcada pela migração. Inspiradas nas bonecas de origem russa, as obras retratam as origens ancestrais, a materialidade do corpo, as conexões com o outro, as relações com o ambiente e, por fim, a relação com o universo em sua mais infinita amplitude.
Artista: Nadia Starikoff
Curadoria: Carol Mondin
Produção: Eduarda Cabreira

Comidas, bebidas e artesanato típico do Leste Europeu
Um pedacinho da tradicional Feira do Leste Europeu estará na Galeria Olido no sábado, 07/12, com barracas de comidas, bebidas e artesanato típicos da região. A Feira do Leste Europeu acontece mensalmente na Vila Zelina, bairro que concentra o maior número de imigrantes de países do Leste Europeu em São Paulo.
Sábado, 07/12/2019
Horário: das 13h às 20h
SPCine Olido (Av. São João, 473)

'Marighella' será adaptado para minissérie da Globo


Dirigido por Wagner Moura, o filme Marighella, que conta a história do ex-deputado, poeta e guerrilheiro baiano Carlos Marighella (1911-1969), vai virar série que será exibida na Globo no ano que vem. Protagonizada pelo ator e cantor Seu Jorge, a obra chegou a ter a data do Dia da Consciência Negra, 20 novembro, marcada para a estreia nos cinemas brasileiros, mas a futura exibição acabou sendo cancelada por problemas burocráticos com a Ancine.
De acordo com a colunista Patrícia Kogut, do O Globo, Marighella será dividido em quatro episódios. O longa, inclusive, será responsável pelo retorno de Bruno Gagliasso nas telonas.
Cercada de polêmicas desde que foi anunciado pelo próprio Wagner Moura, a trama foi alvo de críticas por tratar abertamente da figura de Carlos Marighella, que liderou um dos maiores movimentos nacionais de resistência contra a ditadura militar — até o seu assassinato, no ano de 1969.

(Crítica) O Exterminador do Futuro – Destino Sombrio



Por Beto Menezes

Se tinha uma franquia que durante todo esse tempo (irônico né?) lutou para se manter viva foi O Exterminador do Futuro. Desde a saída de James Cameron após “O Julgamento Final”, cada filme foi uma derrota. E o nível foi caindo cada vez mais, até chegar ao quase fundo do poço com o pavoroso “Genesys”. Mas Cameron retorna com a promessa de apagar tudo que foi feito antes e botar a história de volta nos eixos, agora com uma nova mão no volante mas ele dando as coordenadas. E por mais que seja bom ter Cameron de volta, parece que o próprio tropeça na vontade de fazer algo novo.
Cameron cumpre o que promete e segue a história após os acontecimentos do filme de 1991, com Sarah (Linda Hamilton) e John Connor (Edward Furlong) fugindo das autoridades. O “Julgamento Final” não aconteceu. Mas isso não impediu a realidade de criar um novo futuro onde a humanidade é massacrada por uma inteligência artificial e agora, nos dias atuais, um exterminador (Gabriel Luna) é enviado de volta ao passado para eliminar um novo alvo, a jovem Daniella Ramos (NataliaReyes) e como de praxe alguém também vem para protegê-la, Grace (Mackenzie Davis). Agora elas precisam unir forças para sobreviver à esse caçador implacável e manter a esperança do futuro.

À primeira vista a trama apresenta problemas, não nesse filme isoladamente, mas como ele fala com os dois anteriores. Parece que Cameron simplesmente joga tudo que foi incrivelmente bem construído fora em ordem de criar algo novo que pode levar a franquia por anos a fio, o que pode dar uma péssima impressão para os fãs mais ardorosos que levam os dois primeiros filmes no coração como clássicos da ficção. Mas se você conseguir abdicar de tal sentimento e aceitar essa nova premissa, “Destino Sombrio” se torna uma ótima diversão com grandes colheres de nostalgia.
A começar pela primeira grande sequência de ação, muito bem dirigida por Tim Miller e uma grande revisitada à famosa sequência da rodovia de Exterminador 2, com ação e perseguição de tirar o fôlego. E destaco também a situação social do filme, mudando drasticamente o palco do embate dos EUA para o México e tendo boa parte do seu primeiro ato todo falado em espanhol, uma descentralização bastante interessante. E também destaco a construção de personagens, onde temos um eixo formado por três mulheres fortes e totalmente senhoras de si. Se antes tínhamos a mulher como a progenitora daquele que viria a salvar a humanidade agora, em Dani, temos a mulher como a própria salvadora, aquela que está destinada a nos unir no futuro de caos. Mackenzie Davis também está ótima, forte e decidida, sua dinâmica com Dani e Sarah funciona muito bem. Mas a melhor interação é o retorno da dupla Hamilton/Arnold Schwarzzenegger.

O filme dá uma função muito digna e faz juz ao histórico de Connor e como ela, apesar da idade, se mantém lutando e ainda acreditando que não estamos livres da ameaça. E para evitar spoilers vou me limitar a dizer que a participação de Schwarzza está diretamente ligada à Connor.
“Destino Sombrio” cumpre o que promete: traz de volta a franquia para o devido lugar de destaque e a abre para novos horizontes e possibilidades, mantendo o pé em suas raízes, mesmo que possa ter comprometido o seu passado. Mas ainda assim, com certeza vale a conferida no escurinho do cinema.
O Exterminador do Futuro – Destino Sombrio está em cartaz nos cinemas. 
Trailer:


Veja mais em Cinema em Série

“Pulp Fiction" e primeiro “Indiana Jones” de volta às telonas da UCI Cinemas



Cinéfilos de plantão, preparem a pipoca, porque a grande festa do cinema vem aí! No dia 11 de novembro, a UCI Cinemas faz aniversário e traz de volta às telonas dois ícones: “Pulp Fiction: Tempo de Violência”, clássico de Quentin Tarantino que completa 25 anos, e “Indiana Jones e os Caçadores da Arca Perdida”, o primeiro de todos, em versão remasterizada. 

A festa também contará com a dose dupla de “Minha Mãe É uma Peça 1” e “Minha Mãe É uma Peça 2”, franquia com Paulo Gustavo que ganha mais um capítulo em dezembro. Será uma comemoração imperdível, com um dia inteiro de surpresas, Pipoca Premiada e ingressos, para esses e todos os filmes, a preços especiais: R$ 12 (e R$ 6 a meia-entrada).


Com grande elenco, o premiado “Pulp Fiction: Tempo de Violência” consagrou Tarantino como cineasta. O filme cult completa 25 anos e ficou conhecido pelas referências à cultura pop e pelos personagens cartunescos, que renderam cenas inusitadas. Na história, Vincent Vega (John Travolta) e Jules Winnfield (Samuel L. Jackson) são assassinos profissionais que trabalham fazendo cobranças para Marsellus Wallace (Ving Rhames), um poderoso gângster. Já Uma Thurman é Mia Wallace e, com John Travolta, forma um dos casais mais atípicos do cinema. Enquanto isso, o pugilista Butch Coolidge (Bruce Willis) se mete em apuros por ganhar luta que deveria perder. Será que dessa vez o público descobre o que tem dentro da valise misteriosa?

A trilha inconfundível anuncia: ação e aventura também vão invadir o #UCIDay com “Indiana Jones e os Caçadores da Arca Perdida”, primeiro filme da franquia de sucesso de Steven Spielberg e George Lucas, que eternizou Harrison Ford como o personagem. Há quatro décadas, o professor de arqueologia se transforma em um herói quando usa o chapéu e o chicote para lutar contra forças ocultas, e sua fama de invencível continua mexendo com o imaginário dos fãs desde 1981. Vencedor de cinco estatuetas no Oscar, o filme se passa em 1936 e apresenta Indy em busca de uma relíquia bíblica, que contém os Dez Mandamentos. Mas ele não está sozinho na procura do precioso artefato: seu adversário é o próprio Adolf Hitler.

A venda antecipada para o #UCIDay está bombando e, para garantir ingressos, é só acessar www.ucicinemas.com.br ou canais Ingresso.com, além das máquinas de autoatendimento disponíveis no hall dos complexos.

'Homem Aranha no Aranhaverso 2' estreia em 2022


Sony Pictures confirmou que “Homem-Aranha no Aranhaverso 2”, a sequência da animação vencedora do Oscar 2019, estreia em 8 de abril de 2022

A trama mostra a existência de diferentes dimensões, e acompanha a vida de Miles Morales (dublado por Shameik Moore), versão do Aranha do universo Ultimate dos quadrinhos. Neste mundo, existem mais de um Homem-Aranha, e Peter Parker (dublado por Jake Johnson), que já é mais velho, é uma espécie de mentor para Morales.

No longa também são apresentados a Spider-Gwen/Gwen Stacy (Hailee Steinfeld), Aranha-Noir (Nicolas Cage), Peni Parker (Kimiko Glenn) e Porco-Aranha (John Mulaney).

O roteiro foi escrito por Rodney Rothman e Phil Lord – este produziu o filme junto a Chris Miller, Avi Arad, Amy Pascal e Christina Steinberg. A direção foi de Bob Persichetti, Peter Ramsey e Rodney Rothman. Não há informações se a equipe criativa continuará a mesma, mas tudo indica que sim. 

Não há detalhes sobre a trama da sequência.



Projeta Brasil Cinemark exibirá filmes nacionais a preços populares



Completando 20 anos de existência em 2019, a inciativa Projeta Brasil está prestes a retornar aos cinemas da rede Cinemark para proporcionar um dia inteirinho dedicado a exibição de longas nacionais das últimas temporadas de lançamentos — além de alguns clássicos, como 
Carlota Joaquina, Princesa do Brasil e Se Eu Fosse Você. Os ingressos podem ser adquiridos no site do Cinemark e nas bilheterias.
Esta será a primeira vez que o Projeta Brasil contará com produções nacionais antigas: "Ao incluir na programação esses grandes clássicos, em versão digitalizada, queremos festejar a história do Projeta, que se mistura com a do cinema brasileiro nessas duas décadas”, contou Bettina Boklis, diretora de marketing da rede.
As exibições vão ocorrer no dia 12 de novembro, terça-feira, enquanto a mostra Nova Geração, que trará filmes dedicados ao público infanto-juvenil e à ONGs que trabalham com crianças, será no dia 16 de novembro, em uma manhã de sábado. Nela, estão inclusos Detetives do Prédio Azul 2Turma da Mônica - Laços e Cinderela Pop.
Confira a lista completa de longas exibidos, que vão desde Bacurau e De Pernas Pro Ar 3 até Hebe - A Estrela do Brasil e Vai Que Cola 2 - O Começo!
CLÁSSICOS
Carlota Joaquina
Se eu Fosse Você
Minha Mãe é uma Peça - O Filme
Divã
Nosso Lar
FILMES DO CIRCUITO 2018 - 2019
A História de Um Sonho - Todas as Casas do Timão
A Mata Negra
A Mulher do Meu Marido
A Pedra da Serpente
A Quarta Parede
Alaska
Alma Imoral
Bacurau
Chorar de Rir
Cine Holliudy 2: A Chibata Sideral
De Pernas Pro Ar 3
Diários de Classe
Divaldo - O Mensageiro da Paz
Eu sou brasileiro
Eu Sou Mais Eu
Exterminadores do Além: Contra a Loira do Banheiro
Histórias Estranhas
Intimidade Entre Estranhos
Kardec
Marés
Minha Fama de Mau
Minha Vida em Marte
Mussum, Um Filme do Cacildis
Nada a Perder 2
O Amor Dá Trabalho
O Fantástico Patinho Feio
O Filho do Homem
O Galã
O Grande Circo Místico
O Segredo de Davi
Onde a Moeda Cai em Pé - A História do SPFC
Paisagem: Um olhar sobre Roberto Burle Marx
Sai de Baixo - O Filme
Santos de Todos os Gols
Simonal
Socorro! Virei Uma Garota
Tito e Os Pássaros
Ultraje
Vai Que Cola - O Começo
Hebe - A Estrela do Brasil
Ela Disse, Ele Disse
Morto Não Fala
Maria do Caritó
Rasga Coração
PROJETA BRASIL NOVA GERAÇÃO
Cinderela Pop
Detetives do Prédio Azul: O Mistério Italiano
Turma da Mônica - Laços

Fonte: Adoro Cinema

CCXP 2019 receberá elenco de 'Aves de Rapina'



A CCXP 2019 vai contar com Margot Robbie e o elenco de Aves de Rapina (Arlequina e sua Emancipação Fantabulosa) no painel da Warner Bros., que vai rolar na quinta-feira, dia 5 de dezembro. O evento terá a presença da diretora Cathy Yan e das atrizes Margot Robbie (Arlequina), Ella Jay Basco (Cassandra Cain), Mary Elizabeth Winstead (Caçadora), Jurnee Smollet-Bell (Canário Negro) e Rosie Perez (Renee Montoya).

Quem estiver acompanhando o painel poderá ver cenas inéditas do longa, que estreia nos cinemas em 6 de fevereiro de 2020. 

A CCXP 2019 acontece na São Paulo Expo (1,5, Rod. dos Imigrantes - Vila Água Funda), em São Paulo, entre os dias 5 e 8 de dezembro. 

Os ingressos da CCXP custam entre R$ 90 e R$ 8.000, e podem ser adquiridos no site do evento.




'A Vida Invisível' tem estreia adiada para novembro


A Vida Invisível, pré-candidato brasileiro ao Oscar, teve sua estreia adiada. O filme do cineasta Karim Aïnouz chegaria aos cinemas no dia 31 de outubro, mas agora só estreará em 21 de novembro. A mudança foi realizada por conta da agenda de divulgação do filme, que já está em campanha pela indicação ao Oscar de melhor filme internacional (anteriormente conhecido como filme estrangeiro).

"A decisão da produtora RT Features e as distribuidoras Sony Picutres e Vitrine Filmes visa ampliar a participação do diretor e do elenco nos eventos e atividades de lançamento por todo o Brasil e conciliar a agenda de Aïnouz com suas viagens internacionais na campanha pelo Oscar", informaram as empresas por meio de um comunicado oficial.

A Vida Invisível entrou em cartaz na cidade de Fortaleza, em setembro, para atender aos requisitos da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas e poder representar o Brasil na premiação. Uma lista preliminar de indicados a melhor filme internacional será divulgada pela Academia até o fim deste ano. A relação final com os cinco indicados será conhecida apenas no dia 13 de janeiro.

Fonte : Uol Notícias

Festival Internacional de Cinema Infantil (FICI) - Confira a programação




Entre os dias 18 e 27 de outubro, acontece o 17º Festival Internacional de Cinema Infantil (FICI). Com a programação direcionada ao público infantojuvenil, o evento conta com mais de 70 produções nacionais e internacionais. Um destaque desta edição será a homenagem ao quadrinista brasileiro Maurício de Sousa.
Serão realizadas 308 sessões exibidas pela Rede Cinemark no Rio de Janeiro, Natal e Aracaju, com ingressos populares ou gratuitos. Entre as principais mostras da programação estão “Anima Mundi para Crianças”, “Se Você Ainda Não Viu”, “Dublagem ao Vivo” e “Mestres da Infância - Maurício de Sousa”; onde será exibido os filmes Turma da Mônica - Laços e A Princesa e o Robô, dirigido pelo famoso cartunista.
A seleção deste ano conta com grandes destaques como a pré-estreia do filme Dora e a Cidade Perdida, dirigido por James Bobin, que irá abrir o festival e só chegará ao circuito brasileiro em novembro. Também acontecerá a primeira exibição no cinema de Luccas Neto em: Acampamento de Férias, o terceiro filme do youtuber, que foi lançado apenas em VOD, em julho deste ano.
Outra mostra presente no evento é o "Prêmio Brasil de Cinema Infantil", uma categoria competitiva do FICI em que os vencedores são escolhidos pelas crianças, através de votações realizadas tanto nas sessões do festival quanto por voto online.
“Desde a criação do Prêmio, o número de inscrições aumenta significativamente a cada ano, comprovando o crescimento do setor no país, que ainda tem um imenso potencial de mercado a ser explorado”, explica uma das diretoras da mostra, Carla Camurati. “E com o Prêmio, temos a chance de envolver as crianças a participar e assumir o protagonismo, ao escolherem os vencedores. Assim como nas sessões seguidas de debates ou com dublagem ao vivo, que tentam instigar o olhar dos pequenos espectadores a ir além da história”, completa a também diretora Carla Esmeralda.
Inaugurado em 2003, o Festival Internacional de Cinema Infantil já exibiu mais de mil filmes para um público superior a 1,7 milhões de espectadores. Confira a programação completa no site oficial.

Fonte: Adoro Cinema

'Crime sem Saída', thriller policial estrelado por Chadwick Boseman, ganha trailer



A Galeria Distribuidora acaba de divulgar as versões legendada e dublada em português do trailer de “Crime Sem Saída” (“21 Bridges”). Conhecido pelo papel título de “Pantera Negra”, o ator americano Chadwick Boseman estrela o longa de ação que é produzido pelos irmãos Joe e Anthony Russo, da franquia Os Vingadores. Brian Kirk assina a direção.

“Crime Sem Saída” conta a história de um polêmico detetive de Nova York que recebe a missão de prender uma dupla de assassinos de policiais que está à solta na cidade. Para conseguir encontrá-los, ele se envolverá em uma investigação arriscada e terá que tomar medidas extremas na tentativa de encerrar uma grande e inesperada conspiração. 

O longa estreia em 12 de dezembro e traz ainda no elenco a atriz indicada ao Globo de Ouro Sienna Miller, Taylor Kitsch e o ganhador do Oscar de Melhor Ator Coadjuvante J. K. Simmons.

Dia das Crianças: Filme "Ela Disse, Ele Disse" nos cinemas!


Longa que traz Maisa como antagonista e apresenta as estreias de Fernanda Gentil e Bianca Andrade (Boca Rosa) nos cinemas, “Ela Disse, Ele Disse” está em cartaz em todo Brasil. Com produção assinada por Paula Barreto, da LC Barreto/Filmes do Equador, coprodução da Globo Filmes e distribuição da Imagem Filmes, o filme é baseado no best-seller homônimo de Thalita Rebouças e tem o trailer narrado pela própria autora, que traz um pouco da divertida história que será contada nos cinemas.


O filme traz as perspectivas dos protagonistas Rosa (Duda Matte) e Leo (Marcus Bessa), dois adolescentes que precisam se adaptar ao primeiro ano em um novo colégio. Entre provas, amizades, bullying, crushes e as armadilhas das redes sociais, a história mostra como meninos e meninas podem sentir as mesmas coisas, mas pensar e agir de maneiras completamente diferentes.

Para deixar a trama ainda mais interessante, Júlia (Maisa), a menina popular do colégio e rival de Rosa, vai aprontar todas com os alunos novos. Após estrelar filmes de sucesso e ganhar seu próprio talk show, Maisa dá vida à primeira antagonista de sua carreira. “A Júlia é uma menina metida, do grupo dos populares, que gosta de ser o centro das atenções, ser melhor que todo mundo. Como ela é muito diferente de tudo que eu já tinha feito, eu fiquei mais livre para criar, a Thalita me deu muita liberdade para fazer isso. E eu acho as vilãs mais engraçadas. No caso da Júlia, ela é tão burrinha que chega a ser cômico”, diverte-se a atriz.

Dirigido por Claudia Castro, o longa marca a estreia de Fernanda Gentil como atriz, interpretando a mãe de Rosa. “A Paloma é uma mãe que tenta acompanhar muito o mundo da filha, tenta falar de igual para igual, ser amiga, mas também cobra, dá bronca, paga os micos dela como mãe. E eu me vejo muito nela, nesse sentido de querer sempre estar perto custe o que custar”. Outra novidade nas telonas é a influenciadora digital Bianca Andrade, conhecida nas redes sociais como Boca Rosa, que no filme interpreta a professora Fátima. “Eu tive muita sorte de ser professora, ter tido essa bagagem e conseguir usar isso na construção do personagem. Mas ela é bem diferente de mim, foi um grande desafio”.

Ainda no elenco estão nomes como Maria Clara Gueiros, em um papel mais dramático como Madalena, a diretora linha-dura da escola, Angelo Paes Leme, que interpreta Múcio, pai do protagonista Leo, e os jovens Matheus Lustosa, JP Rufino, Giulia Ayumi, Cecília Warpe, Pedro David, Rodrigo Tavares e Daniel Pim. Na parte artística, Pedro Serrão assina a direção de fotografia, Joana Mureb a direção de arte e Joanna Ribas os figurinos.

Lançado em 2011, “Ela Disse, Ele Disse” é o primeiro livro de Thalita Rebouças com um protagonista masculino e é também um dos livros mais vendido da autora, que conta, até o momento, com mais de 100 mil exemplares vendidos.

Sinopse: Rosa (Duda Matte) é uma menina estudiosa, Leo (Marcus Bessa) manda bem no futebol. Ela é pontual, ele está sempre atrasado. Ela detesta Júlia (Maisa), a menina mais popular do colégio, ele até que gosta dela. Os dois são alunos novos na escola e, além de aprender a lidar com os novos amigos e os problemas na família, descobrem que têm muito mais em comum do que imaginavam. Baseado na obra de sucesso de Thalita Rebouças, eles vão descobrir que crescer pode parecer complicado, mas no fundo, é a maior aventura.

Curta Cinema anuncia seleção de filmes de 2019



Festival Curta Cinema anuncia sua seleção oficial de filmes que serão exibidos ao longo do evento, que acontece entre 30 de outubro e 6 de novembro no Estação Net Botafogo, Cinemaison e Cinemateca do MAM. A seleção de 153 filmes foi feita entre os 3400 curtas recebidos, vindos de 35 países e de 13 estados brasileiros, além do Distrito Federal. 

Os curtas foram distribuídos pelas competições Nacional e Internacional, pelos Panoramas  -Carioca, Brasil e Latino Americano - e pelas mostras especiais - Primeiros Quadros, Em Trânsito, Interzona e Infanto-Juvenil. 

Entre os filmes selecionados pelo comitê, destaque para a estreia nacional do novo filme da cineasta Daniela Thomas,  - que já teve um longa metragem em competição do Festival de Cannes - 'Tuã Ingügu (Olhos D'Água)'; 'Xandoca', do cineasta indígena Takumã Kuikuro, premiado no Festival Curta Cinema de 2006; 'Extratos' novo curta da cineasta Sinai Sganzerla, que apresenta um belo registro de imagens feitas pelo seu pai, o cineasta Rogério Sganzerla, com sua mãe, Helena Ignez. Além de 'Estrondo', novo curta do cineasta carioca Felipe Nepomuceno e 'O Muro Era Muito Alto', do animador Marcelo Marão, que serão exibidos na abertura do festival, no próximo dia 30 de outubro.

Na competição internacional, curtas que passaram na seleção oficial 2019 de festivais como Cannes, Veneza, Locarno e Berlim.

Nesta edição, o Curta Cinema apresenta duas mostras de curadoria convidada: pelo segundo ano consecutivo, a pesquisadora Laís Rodrigues elaborou um programa especial para sua Mostra VIDEOERA. E, pela primeira vez, com curadoria do Hernani Heffner, em parceria com a Cinemateca do MAM, o festival exibe a Mostra "Tesouros do Curta em 35mm",  filmes em películam, na Sala da Cinemateca.

Entre as mostras paralelas à competição, está o Panorama Brasil, que apresenta uma abrangência maior da produção nacional entre 2018 e 2019, com filmes premiados e outros selecionados para o público carioca. Em Primeiros Quadros, o festival dá oportunidade aos primeiros filmes de novos realizadores, já o programa “Em Trânsito”, aborda o olhar do Brasil sobre o estrangeiro a partir das perspectivas dos realizadores, enquanto a “Interzona”, exibe filmes com a temática horror.

Para o público jovem, o Festival apresenta os programas Infanto-Juvenil e  Infantil, que, mais uma vez, tem seu line up proposto pela organização do Dia Mundial da Animação.

Além das mostras e programas, o Curta Cinema oferece atividades paralelas como uma  Masterclass de Direção ministrada por Sandra Kogut, e as oficinas do “Mercado Curta Cinema” - Oficina de Desenvolvimento de Documentário, Storytelling e Realidade Aumentada. As inscrições para tais atividades devem começar na semana que vem.

A programação completa estará disponível em breve no site do festival

SELEÇÃO OFICIAL - FESTIVAL CURTA CINEMA 2019

ABERTURA
2 ou 3 choses de Marie Jacobson, de Anne Azoulay, França, 2019
Agora como Antes, de Thiago Carvalhaes, SP, 2019
Aiku’è, de Mariana Villas-Bôas, RJ, 2019
Estrondo, de Felipe Nepomuceno, RJ, 2019
O Muro era muito alto, de Marcelo Marão, RJ, 2019

COMPETIÇÃO OFICIAL

COMPETIÇÃO NACIONAL
A ética das hienas, de Rodolpho de Barros, PB, 2019
A Nave de Mané Socó, de Severino Dadá, RJ, 2019
A Profundidade da Areia, de Hugo Reis, ES, 2019
A volta para casa, de Diego Freitas, SP, 2019
Água e Sal, de Luisa Mello, RJ, 2019
Amor aos vinte anos, de Toti Loureiro e Felipe Poroger, SP, 2019
Auto Falo, de Caio Dornelas, PB, 2019
Avoada, de Magno Pinheiro, RJ, 2019
Baile, de Cíntia Domit Bittar, SC, 2019
Caçador, de Leonardo Sette, PE, 2018
Carne, de Camila Kater, SP, 2019
Estamos sendo, de Claryssa Almeida, MG, 2019
Extratos, de Sinai Sganzerla, SP, 2019
Guará, de Fabrício Cordeiro e Luciano Evangelista Luciano, GO, 2019
Ilhas de Calor, de Arthur Macedo Ulisses, AL, 2019
Joderismo, de Marcus Curvelo, SP, 2019 
Jorge, de Jéferson, RJ, 2018
Looping, de Maick Hannder, MG, 2019
Malandro de Ouro, de Flávio C. von Sperling, MG, 2019
Marie, de Leo Tabosa, PE, 2019
Nove águas, de Gabriel Martins e Quilombo dos Marques, MG, 2019
Planeta Fábrica, de Julia Zakia, SP, 2019
Quebramar, de Cris Lyra, SP, 2019
, de Ana Flavia Cavalcanti, SP, 2019
Revolver, de Frederico Benevides e Tadeu Capistrano, 17 min, RJ, 2019
Rocha, de Luiz Matoso, MG, 2019
Sangro, de Tiago Minamisawa e Bruno Castro, SP,
Sem Asas, de Renata Cilene Martins, SP, 2019 
Sol, de Higor Mourão, SP, 2019
Thinya, de Lia Letícia Leite, PE, 2019
Tuã Ingügu (Olhos D'Água), de Daniela Thomas, RJ, 2019
Xandoca, de Takumã Kuikuro, MT, 2019

COMPETIÇÃO INTERNACIONAL
Above us only sky, de Arthur Kleinjan, The Netherlands, 2019
Acadiana, de Guillaume Fournier, Samuel Matteau, Yannick Nolin, Canada, 2019
All Fires the Fire, de Efthimis Kosemund Sanidis, Greece, 2019
Blue Boy, de Manuel Abramovich, Argentina / Germany, 2019
Cães que ladram aos pássaros, de Leonor Teles, Portugal, 2019
Club Splendida, de Caio Amado Soares, Germany, 2019
Destierra, de Juan David Mejía Vásquez, Colombia, 2019
Dia de Festa, de Sofia Bost, Portugal, 2019
Dossier of the dossier, de Sorayos Prapapan, Thailand, 2019
Em Caso de Fogo, de Tomás Paula Marques, Portugal, 2019
Fakh (The Trap), de Nada Riyadh, Egypt / Germany, 2019
Figurant, de Jan Vejnar, Czech republic / France, 2019
Greykey, de Enric Ribes, Spain, 2019
GÜNST UL VÁNDRAFOO (Ráfagas de vida salvaje), de Jorge Cantos, Spain, 2019
Hãy tỉnh thức và sẵn sàng (Stay Awake, be Ready), de An Pham Thien, Korea (south) / USA / Vietnam, 2019
Hierophany, de Frank O'Neill, USA, 2018
Home, de Alejandro Alonso, Cuba, 2019
Insectopedia, de Antoine Fontaine, Belgium / France, 2019
KEMBALILAH DENGAN TENANG (Rest in peace), M. Reza Fahriyansyah, Indonesia, 2018
Kolektyviniai sodai (Community Gardens), de Vytautas Katkus, Lithuania, 2019
La siesta, de Federico Luis Tachella, Argentina, 2019
Mabat shlishi (Third Look), de Efrat Rasner, Israel, 2019
Monstruo Díos, de Agustina San Martín, Argentina, 2019
Nachts sind alle Katzen grau (All Cats Are Grey in the Dark), de Lasse Linder, Switzerland, 2019
NILALANG (Of Beings and Deceit), de Juan Carlo Tarobal, Philippines, 2019
Scarcity, de Przemek Węgrzyn, Poland, 2019
Soledad, de Stiliyan Stoyanov, Bulgaria, 2018
Spacewalkers, de Juan Pablo Caballero, Colombia, 2018
Supine, de Nicole Goode, Czech republic, 2019
The Van, de Erenik Beqiri,  Albania / France, 2019
Tigre, de Delphine Deloget, France, 2018
Transparent, the world is., de Yuri Muraoka, Japan, 2019
ULTIMUL DRUM SPRE MARE (The last trip to the seaside), de Aidi Voicu, Romania, 2019

PANORAMAS

PANORAMA CARIOCA
A Mentira, de Rafael Spínola e Klaus Diehl, 2019
Abraço, de Matheus Murucci, 2019
Afeto, de Tainá Medina e Gabriela Gaia Meirelles, 2019
Alfazema, de Sabrina Fidalgo, 2019
Aurora, de Renata Spitz, 2018 
Cadeia Alimentar, de Raphael Medeiros, 2019
Cravo, Lírio e Rosa, de Maju Paiva, 2018
Intervenção Jah, de Daniel Santos, Brasil-RJ / Guiné-Bissau, 2019
Kopacabana, de Khalil Charif e Marcos Bonisson, 2019
Maurício, de Rafael Machado, 2019
Na Rota do Vento - o cinema na musica de Sergio Ricardo, de Victor Magrath, Marina Lufti e Cavi Borges
O rio em mim, de Elena Duarte Parravicini, 2019
Panóptico, de Cesar Duro, 2019
Peixe Pequeno, de Caio Alvarenga, 2019
Vento de Sal, de Anna Azevedo, 2019
Vidas Inventadas de Amélia Aragão, de Luiza Quental, 2019
Tarântula, de Tiago Ferreira Fonseca, Bruna Mello, Lucas Melo, Uli Dile, Vitor Valadão, 2019

PANORAMA BRASIL
A era de Lareokotô, de Rita Carelli, SP, 2019
Aulas que matei, de Amanda Devulsky e Pedro B. Garcia, DF, 2018
Aurora, de Leo Ayres, Brasil-MG / Cuba, 2019 
Cão Maior, de Filipe Alves, DF, 2019
Cartuchos de Super Nintendo em Anéis de Saturno, de Leon Reis, CE, 2018
Dia de Eleição, de Nereu Afonso, SP, 2019
Diz Que É Verdade, de Pedro Estrada e Claryssa Almeida, MG, 2019
Dois, de Leticia Rheingantz e Gabriela Boeri, SP, 2019
Entre, de Ana Carolina Marinho e Bárbara Santos, SP, 2019 
Frescor Marine, de Tothi dos Santos, GO, 2019
Mesmo Com Tanta Agonia, de Alice Andrade Drummond, SP, 2018 
Mona, de Luíza Zaidan e Thiago Schindler, SP, 2019
O Rabequeiro Maneta e a Fúria da Natureza, de Manu Maltez, SP, 2019
Pelano!, de Calebe Lopes e Christina Mariani, BA, 2019
Ressurreição, de Otto Guerra, RS, 2019
Selma depois da Chuva, de Loli Menezes, SC, 2019
Tempestade, Fellipe Fernandes, PE, 2018
Teoria sobre um planeta estranho, de Marco Antonio Pereira, SP, 2019
Tipóia, de Paulo Silver, AL, 2019
Um ensaio sobre a ausência, de David Aynan, BA, 2018

PANORAMA LATINO AMERICANO
Abisal, de Esteban Santana, Chile, 2019
Ari y Yo, de Adriana Faria, Brasil / Cuba, 2019
Bodas de Oro, de Lorenzo Tocco, Chile / Uruguay, 2019
Cuadros, de Juan Sebastian Abello Acosta, Colombia, 2019
El agua, de Andrea Dargenio, Argentina, 2019
El futuro, de Ernesto Martínez Bucio, Mexico, 2018
Exiliada, de Leonor Zúniga, Nicaragua / USA, 2019
Feelings, de Fermin Pedros, Peru, 2019
Fiebre Austral, de Thomas Woodroffe, Chile, 2019
Franco, de Mariana Martínez Gómez, Mexico, 2018
Héctor, de Victoria Giesen Carvajal, Chile, 2019
Hogar, de Gerardo Minutti, Uruguay, 2019
La Xarxa, de Sofia Marcos Sofia, Dominican Republic / Portugal, 2019
Liremu Barana (Soul of the sea), de Elvis Rigoberto Caj Cojoc, Guatemala / Norway, 2019
Mundo Viejo, de Luis Garay Guevara, Argentina, 2019
No faltes, Mili, de Carla Gutiérrez Yañez, Argentina, 2018
Oliva, de Irene Ponce, Cuba / Spain, 2018
Pleamar, de Marco Salaverría, Venezuela, 2019
Tierra Mojada, de Juan Sebastian Mesa, Colombia, 2018
Todo lo que flota, de María Matiz, Colombia, 2019
Trois Machettes, de Matthieu Maunier Rossi, France / Haiti, 2019

PROGRAMAS ESPECIAIS

EM TRÂNSITO
Brasil, Cuba, de Bertrand Lira e Arturo de la Garza, Brasil-PE / Mexico, 2019
Budapest, de Gabriel Motta, Brasil-RS / Hungary, 2019
Nome de Batismo - Frances, de Tila Chitunda, SP, 2019
Refúgio, de Shay Peled e Gabriela Alves, SP, 2019
Ver a China, de Amanda Carvalho, Brasil-SP / China, 2019
INTERZONA – PRÊMIO ITAMARATY
Caranguejo Rei, de Matheus Farias e Enock Carvalho, PB, 2019
Cova humana, de Joel Caetano, SP, 2019
Nervo, de Sabrina Maróstica e Pedro Jorge, SP, 2019
Pop Ritual, de Mozart Freire, CE, 2019
Sobrado, de Renato Sircilli, SP, 2018 
Who's That Man Inside My House?, de Lucas Reis, RS, 2019
PRIMEIROS QUADROS – PRÊMIO JÚRI JOVEM
À Margem das Torres, de Nilton Apolinario, RJ, 2019 
Antes de Ontem, de Caio Franco, SP, 2019
Aqueles Dois, de Émerson Maranhão, CE, 2018
As Constituintes de 88, de Gregory Baltz, RJ, 2019
Com Cassis?, de Nicole Gullane, SP, 2018
Derradeiro, de Renata Alves, SP, 2019
Em busca de Alzira, de Maria Julia Andrade, RJ, 2019
Fosfeno, de Clara Vilas Boas e Emanuele Sales, MG, 2019
Jaíza, de João Paulo de Freitas e Ana Clara Gonçalves França, MG, 2019
Mãe não chora, de Vaneza Oliveira e Carol Rodrigues, SP, 2019
NEGRUM3, de Diego Paulino, SP, 2018
Nova Redenção, de Rafael Rodrigues, RJ, 2019
Pogrom, de Guilherme Folly e Fernanda Cavalcanti, RJ, 2018
Polis, de Rafael Baptista da Costa Magalhães, RJ, 2019
Quântica, de Tati Lenna, SP, 2018
Volta Seca, de Roberto Veiga, PE, 2019